Ao contrário do senso comum e do que muitos empresários imaginam, a inovação é um processo acessível a todo tipo de negócio, que não depende – necessariamente – de grandes investimentos de recursos e que não se restringe à tecnologia. No contexto da crise provocada pela pandemia do coronavírus, os donos de micro e pequenas empresas estão descobrindo na prática que a inovação pode estar muito mais perto do eles pensam e que ela é cada vez mais fundamental para agregar valor ao cliente e melhorar os resultados do negócio.

“Se o empresário não tiver a consciência de que é preciso inovar, agregando valor ao seu serviço ou ao seu produto, aprimorando a gestão e acompanhando as tendências, não só dos concorrentes, mas também de consumo, infelizmente, terá uma grande chance de fechar as portas”, destacou o analista de inovação do Sebrae, Marcus Vinícius Bezerra.

Segundo ele, com a pandemia do coronavírus, a necessidade de inovação ficou muito mais evidente e se impôs ao mundo dos negócios. “Algumas micro e pequenas empresas que já estavam atentas às tendências de mercado e aos novos hábitos do cliente conseguiram reagir mais rapidamente e se adaptar para atender às demandas em um cenário de crise. Pesquisas realizadas pelo Sebrae mostraram que as empresas que conseguiram inovar foram as que tiveram menos impactos e em alguns casos, conseguiram até mesmo faturar mais na pandemia”, contou o analista.

Um levantamento feito pelo Sebrae na última semana de agosto revelou que as vendas online continuam em alta entre as micro e pequenas empresas que têm utilizado canais digitais, como as redes sociais, aplicativos ou internet como plataformas para comercialização de produtos e serviços. Ainda de acordo com a pesquisa, enquanto no final de maio, 59% das empresas utilizavam esses canais, atualmente esse percentual já chega a 67%.

Neste Mês da Inovação, iniciativa do Sebrae para difundir a inovação entre os donos de pequenos negócios e mostrar que essa prática está acessível a todos, a Agência Sebrae de Notícias (ASN) ouviu especialistas na área e apresenta algumas dicas sobre como inovar na oferta dos produtos ou serviços do seu negócio.

1. Antes de inovar na oferta do seu negócio, conheça as reais necessidades dos seus clientes

A pandemia do coronavírus mudou o perfil do consumidor, seus hábitos de consumo, impactando seu poder aquisitivo, suas formas de interação e relacionamento e até mesmo sua percepção de valor do que é importante. Diante de tamanho impacto, antes de inovar, o empresário deve pesquisar se o cliente ainda tem interesse de fato no seu produto ou serviço, principalmente na forma como o seu negócio é oferecido. Entender como o seu cliente foi impactado por todas essas mudanças ajudará a pensar em como oferecer seu produto ou serviço de uma forma diferente. É preciso levar em conta que um produto ou serviço só será inovador se ele entregar valor para o consumidor.

2. Não entre em mais uma onda, ao menos que seja inovando também

O mundo dos negócios está em constante transformação e, de tempos em tempos, é fácil observar novas modalidades de negócios que surgem de forma inovadora, em um primeiro momento, mas logo saturam o mercado. Se você é o primeiro a surfar na onda, as chances de sucesso são grandes. Mas quando você é apenas mais um a acompanhar aquele movimento, a tendência de fracasso é grande. Por isso, se decidir que vai acompanhar uma das inúmeras “modas” de determinado segmento, saiba que já terá que entrar com alguma inovação para que tenha resultados significantes.

3. Mantenha-se atento às novidades dentro e fora do seu mercado de atuação

Mais do que ofertar um novo produto ou serviço no mercado, a forma como você vai oferecê-los pode fazer toda a diferença, trazendo inovação para dentro do seu negócio. Estima-se que mais de 90% de todas as inovações do modelo de negócios simplesmente recombinam ideias e conceitos já existentes em outros setores de atividade. Então, além de olhar para frente, vislumbrando o futuro, não deixe de também olhar para os lados, principalmente para oportunidades que podem estar ‘invisíveis” dentro da cadeia de valor do seu negócio.

4. Oferecer seu produto ou serviço com baixo contato e mais segurança é uma tendência dos negócios

Outra consequência da pandemia é o receio das pessoas em ter contato com pessoas que estão fora do seu círculo de relacionamento. É uma tendência que o consumidor venha a preferir consumir produtos e serviços de uma forma que transmita uma sensação de segurança ou que possibilitem um contato mínimo. Ao buscar oferecer soluções para ofertar seu produto ou serviço com mais cuidado e mais proteção, você também pode estar inovando. Um exemplo de oferta inovadora que está ganhando espaço no Brasil, na venda de vinhos, por exemplo, é o chamado “streaming de vendas”. A ideia é humanizar um pouco as vendas pela internet. Nesse caso, o cliente conversa em tempo real com o vendedor que mostra os produtos ao vivo pela internet. O pagamento é feito digitalmente.

Fonte: FCDL – Minas Gerais

× Como posso te ajudar?