Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, afirmou em coletiva na manhã do dia 16 de março, que o governo estuda uma forma de compensação para os empresários afetados pelas restrições da onda roxa do Minas Consciente, que passa a valer em todo o Estado a partir desta quarta-feira (17).

“Da mesma forma que ocorreu em 2020, está previsto, sim, para este momento difícil, algum tipo de compensação para aquelas pessoas e atividades que vierem a ser afetadas”, afirmou.

Zema citou o novo auxílio emergencial do governo federal e disse que, em Minas, pediu à Secretaria de Fazenda que avalie o que é possível fazer para ajudar as empresas, em especial as micro e pequenas. Ele lembrou que o Estado conseguiu aprovar um novo Refis para os empresários mineiros e disse que BDMG também poderá auxiliar. “E estamos aguardando o programa de manutenção de empregos por parte do governo federal”, completou.

Além disso, Zema afirmou que pediu para a Cemig e para a Copasa a criação de um procedimento especial por quem for prejudicado no momento, com foco nas pessoas “que estarão com dificuldade de arcar com seus compromissos”.

Para o presidente da FCDL-MG, Frank Sinatra, a criação de auxílios e outros recursos para o salvamento dos pequenos e médios empresários é essencial.

“Ficamos aliviados de saber dos planos do governo de instituir um auxílio aos comerciantes. Afinal, muitos dos pequenos negócios, que por muito pouco sobreviveram a primeira fase da pandemia, já enfrentam dificuldades financeiras incalculáveis. É para isso que nós da FCDL-MG, e demais órgãos representativos do setor, estamos trabalhando dia e noite, conversando com as autoridades estaduais e federais. Agora vamos manter as conversas com o governo do estado ativas, buscando agilizar este possível auxílio, pois muitos destes comerciantes estão sem fonte de renda alguma com o fechamento repentino de suas empresas” destacou Sinatra.

O presidente da FCDL-MG, Frank Sinatra, assim como outros membro da entidade, estão em constante contato com autoridades como o governador Romeu Zema, o secretário de saúde, Carlos Eduardo Amaral, o secretário-adjunto de desenvolvimento, Fernando Passalio, o presidente do BDMG, Sérgio Gusmão, representantes da Polícia Militar, líderes de outras associações e outros.

Dentre os assuntos pautados estão medidas para o socorro das empresas, como redução de impostos, parcelamento de dívidas, liberação de crédito e verba para as empresas, pagamento de auxílios, agilização no processo de vacinação, fiscalização das medidas preventivas, desburocratização da atividade comercial e mais.

Fonte: FCDL Minas Gerais
Foto: Agência Brasil

× Como posso te ajudar?